Estrada Real: caminhos para você desbravar


Seja de carro, de moto, de bicicleta, a cavalo ou a pé, a Estrada Real atrai cada vez mais pessoas interessadas em desbravar seus caminhos. Durante a Expedição Turismo de Minas, em março e abril, era só alguém ver nosso Jeep que vinha logo perguntando: Vocês estão percorrendo a Estrada Real? É impressionante a popularidade da rota, que foi transformada em produto turístico há 17 anos.

Os caminhos foram desenhados no século XVII para escoar diamantes e ouro de Minas Gerais até os portos, no Rio de Janeiro, e hoje proporcionam um mergulho no nosso passado com uma boa dose de natureza e construções históricas.

A maior rota turística do país tem 1.600 km que passam por 199 municípios, sendo 169 em Minas Gerais, 22 em São Paulo e oito no Rio de Janeiro. Descubra o que tem de melhor em cada caminho:

Caminho Velho

Com 710 km de extensão, foi a primeira rota feita para levar as pedras preciosas até o mar: começa em Ouro Preto e passa por Tiradentes, São João del-Rei e Caxambu, culminando em Paraty. Pode ser cumprida em 15 dias de bicicleta, 48 dias a pé, 8 dias de carro e 24 dias a cavalo.

Ponte da Cadeia, em São João del-Rei

Caminho Novo

Trecho mais jovem da Estrada Real, foi definido entre 1722 e 1725, com total de 515 km entre Ouro Preto, Lavras Novas, Juiz de Fora, Paraíba do Sul e Petrópolis. O trecho mais desafiador para quem caminha é entre Ewbank da Câmara e Juiz de Fora, com 59 km.

Mina du Veloso, em Ouro Preto

Caminho dos Diamantes

Quando Diamantina se tornou uma das maiores fornecedoras de diamantes para Coroa Portuguesa, foi criado um caminho para ligá-la a Ouro Preto. São 395 km entre belezas como a Cachoeira do Tabuleiro, o Parque Nacional da Serra do Cipó e o Sitio Arqueológico da Pedra Pintada.

Mercado Velho, em Diamantina

Caminho do Sabarabuçu

A trilha de 160 quilômetros passa por Cocais, Caeté, Sabará, Nova Lima e Glaura. Pelo caminho – que tem 77% de estrada de terra – uma série de atrativos, como o Museu do Ouro, a cênica Serra da Piedade e a bela Igreja Matriz de Nossa Senhora do Bonsucesso.

Matriz de Nossa Senhora do Bonsucesso, em Caeté

Curiosidade

Marcos da Estrada Real estão espalhados por todo o caminho. E pra quem acha que é só enfeite, tá muito enganado. Eles são fixados onde existem bifurcação, e servem para orientar o viajante quanto ao caminho. Se está posicionado do lado direito da estrada, significa que você deve virar à direita, e vice versa.

#Dica

Para deixar a viagem ainda mais divertida, acesse o site da Estrada Real, preencha o formulário e leve o número gerado e 1 kg de alimento não perecível a um dos seis pontos de apoio, para retirar seu Passaporte da Estrada Real. Depois é só ir carimbando pelos caminhos e pegar o certificado no final.

Passaporte da Estrada Real, em Tiradentes

Gostou de conhecer um pouco mais sobre a Estrada Real? Compartilhe com seus amigos! Conhece algum cidade cortada pela rota? Conte pra gente nos comentários!

Fonte: Blog Turismo de Minas

Créditos imagens: Marden Couto / Luana Bastos

#lavrasnovas #ouropreto #caminhoreal #passaportereal

Posts Em Destaque